terça-feira, 13 de novembro de 2012

O uso dos Florais no resgate da saúde e da felicidade – Parte II



 

Caminhando com as Essências Florais de Bach

  

        Quando estamos conhecendo e nos familiarizando com os Florais de Bach, temos a impressão de que todos eles se enquadram na nossa necessidade de cura, porém com o tempo e a prática, somos capazes de identificar aqueles que se sobressaem, que se “encaixam” mais à nossa realidade. Além do que, por vezes não é muito fácil identificarmos nossa verdadeira personalidade, assim, é de grande valia pedirmos a opinião de um profissional ou de uma pessoa que não esteja emocionalmente envolvida conosco, com a finalidade de encontrar a essência adequada para aquele momento.

 

Algumas dúvidas frequentes:

 

        Se escolhermos os Florais de Bach "errados", eles poderão causar danos?

 

        Não. Se a escolha for inapropriada, simplesmente não farão efeito. Eles poderão ser administrados juntamente com outras medicações alopáticas ou homeopáticas, sem contra indicações.

 

        Por quanto tempo devo tomar os Florais de Bach?

     

        A duração do tratamento para se obter um efeito perceptível varia de acordo com cada indivíduo e com as circunstâncias. Entretanto, as pessoas ao seu redor notam as diferenças muito antes. Geralmente as mudanças vão ocorrendo de forma natural, as quais as pessoas vão ajustando-se gradualmente.   Frequentemente, após tomar um frasco por um mês, aparecem outros aspectos da personalidade a serem analisados e tratados, sendo que outra combinação de Essências Florais poderá ser necessária.

 

       As Essências Florais de Bach e seus usos:

 

      As Essências Florais de Bach são utilizadas para o tratamento dos estados mentais ou sintomas da alma em desequilíbrio que, segundo o Dr.Edward Bach, podem ser as causas das doenças físicas. Vamos apresentar as Essências Florais em ordem alfabética com os respectivos padrões negativos ou sintomas específicos a serem tratados:

 
      AGRIMONY -  tortura mental oculta por um rosto alegre.

      ASPEN - medos e preocupações de       origem desconhecida.

      BEECH - intolerância.

    CENTAURY - vontade fraca e submissão.

      CERATO - busca por conselhos e confirmação dos demais.

      CHERRY PLUM - medo do descontrole mental.

      CHESTNUT BUD - dificuldade em aprender com os erros do passado.

      CHICORY - possessividade, apego.

    CLEMATIS - falta de interesse no presente, sonhador.

      CRAB APPLE - sentimentos de impureza, aversão a si mesmo.

      ELM - sobrecarregado por obrigações, desanimado momentaneamente.

      GENTIAN - desânimo, desalento.

      HORNBEAN - cansaço mental, dificuldade de enfrentar rotina diária.

      IMPATIENS - impaciência.

      LARCH - falta de confiança. 

      MIMULUS - medo de causa conhecida.

      MUSTARD - desânimo profundo sem causa conhecida.

      OAK - exaustão sem desanimar.

      OLIVE - falta de energia, convalescência.

      PINE - culpa, auto reprovação.

      RED CHESTNUT - medo ou excesso de preocupação com os outros.

      ROCK ROSE - terror, pânico.

      ROCK WATER - inflexibilidade, auto repressão, auto negação.

      SCLERANTHUS - incerteza, indecisão.

      STAR OF BETHLEHEM - traumas, efeitos posteriores aos traumas.

      SWEET CHESTNUT - angústia mental extrema.

      VERVAIN – princípios e ideias fixas, excesso de entusiasmo.

      VINE - dominador, inflexível.

      WALNUT - proteção notar mudanças e influências externas.

      WATER VIOLET - orgulhosos, afastados, vivem de forma privada.

      WHITE CHESTNUT - pensamentos obsessivos e preocupantes incessantes.

      WILD OAT - incerteza sobre direcionamento de vida.

      WILD ROSE - resignação com uma situação desagradável, apatia.

      WILLOW - ressentimento, auto piedade, amargura.     

      RESCUE REMEDY - emergencial, para situações de stress, notícias ruins, acidentes, etc.

 

 

      Florais de Bach mais usados em consultas odontológicas

    

      É muito comum algumas pessoas apresentarem medo ou até mesmo pânico quando necessitam passar por um atendimento odontológico. Nestes casos geralmente prescrevemos Mimulus e/ou Rock Rose com bons resultados.

 Alguns podem apresentar medo devido à situações traumáticas passadas. Nestes casos acrescentamos Star of Bethlehem à fórmula.

 Na remoção de hábitos como bruxismo, sucção de dedo ou chupeta, também podemos nos beneficiar do uso das Essências Florais tratando das respectivas causas ligadas às personalidades e histórico familiar. Os Florais também podem ser usados para tratar os sintomas que levam à náuseas, ajudando nas moldagens para confecções de próteses. Quando borrifados nos ambientes, trazem harmonização para os mesmos.   

 

      Num momento em que a Terapia Floral se consolida como uma Prática Integrativas e Complementar à Saúde, resta-nos citar este texto do nosso grande mestre :

 

      Existe um Grande Projeto por trás do mundo físico dos seres vivos. Um Grande Projeto e um Grande Arquiteto.   Edward Bach.

     

Leituras Recomendadas.

     Bach, Edward. Cura-te a ti mesmo. Editora Pensamento, São Paulo.

     Barnard Julian, Remédios Florais de Bach, Forma e Função. Prol Editora Gráfica Ltda, 2012, São Paulo.

     

    



segunda-feira, 5 de novembro de 2012

O uso dos Florais no resgate da saúde e da felicidade – Parte I

 
         O texto abaixo, assim como o próximo a ser publicado é de autoria de nossa amiga Mabel Christina Conde, Cirurgiã Dentista, especialista em Odontopediatria e Saúde Coletiva, habilitada em Terapia Floral pelo Conselho Federal de Odontologia, terapeuta floral pelo Bach Institute( Brasil), practitioner e professora autorizada do Sistema de Essências Florais de Saint Germain ( Brasil ) e Secretária da Câmara Técnica de Terapia Floral do Conselho Regional de Odontologia do Estado de São Paulo.
 
   Nos tempos atuais, com a vida agitada das grandes metrópoles, o isolamento das pessoas, assim como a falta de relacionamentos harmônicos, a busca pela saúde mental e emocional tem aumentado cada vez mais. A Terapia Floral vem sendo uma das ferramentas utilizadas por profissionais da saúde em geral com a finalidade de recuperar o bem estar, trazendo o equilíbrio emocional e consequentemente físico.
 
    O que é Terapia Floral?
   Terapia Floral é um método de tratamento onde são utilizadas as chamadas essências florais, com objetivo de harmonizar os sentimentos de ansiedade, depressão, traumas, cansaço e/ou outros desequilíbrios emocionais, que são tidos como fatores que impedem a cura das doenças físicas.
     O que são essências florais?
    Essências florais são soluções preparadas à base de água e flores, plantas silvestres, arbustos ou árvores, que restauram o equilíbrio emocional daqueles que as utilizam. Podem ser usadas sozinhas ou associadas a outros medicamentos alopáticos ou homeopáticos, não havendo contra indicações, pois sua ação é suave.
 O primeiro sistema elaborado, e o mais conhecido, é o Sistema de Florais de Bach, preconizado pelo Dr. Edward Bach. Existem também vários outros Sistemas de Essências Florais, nacionais e internacionais. Poderemos citar alguns, tais como: Sistema Floral Californiano  (EUA), Sistema Floral do Alaska (EUA), Sistema Floral Australiano, Essências Florais do Pacífico, Sistema Floral de Minas ( Brasil ), Sistema Floral de Saint Germain ( Brasil), Sistema Floral Filhas de Gaia ( Brasil ), entre outros.
 
    Vida e trajetória do Dr. Edward Bach
 
   "A saúde depende de estarmos em harmonia com nossas almas." Edward Bach.
 
   Dr. Edward Bach foi um médico muito a frente de seu tempo. Nasceu em Moseley, Inglaterra, em 1886, e foi uma criança intuitiva, delicada e independente, com grande amor pela natureza. Graduou-se médico, sendo que, posteriormente, especializou-se em cirurgia. Insatisfeito com as limitações da medicina ortodoxa e de como estava focalizada em curar sintomas, e acreditando que o tratamento eficaz deveria atingir as causas das doenças, decidiu seguir seu interesse por imunologia tornando-se bacteriologista. Como patologista e bacteriologista, tomou conhecimento da obra de Samuel Hahnemann, o idealizador da Homeopatia, e ficou surpreso com o fato de que este havia reconhecido a importância da personalidade da pessoa na doença, há 150 anos.
   Combinando estes princípios com seus conhecimentos, desenvolveu os "7 Nosódios de Bach ", “vacinas” usadas até os tempos atuais , porém ele não gostava do fato de que elas eram feitas a partir de bactérias e estava ansioso por substitui-las por um método mais suave, possivelmente baseado em plantas.
    Em 1928, durante um jantar comemorativo, observando os convidados, intuiu e compreendeu que eles se encaixavam em vários grupos de personalidades distintas.
    Numa manhã, caminhando em um campo orvalhado, pensou que cada gota de orvalho, atingida pelo sol, adquirisse as propriedades curativas da planta sobre a qual estavam depositadas. Este fato inspirou-o a desenvolver um método de preparo para as essências, utilizando água pura e sol. Em 1934 mudou-se para Mount Vernon, para uma pequena casa em Oxfordshire, onde continua sendo o Dr. Edward Bach Centre, até os dias atuais. Desenvolveu as 38 essências florais e o emergencial ( rescue remedy), e, em 1936, faleceu dormindo.
  
     A filosofia do Dr. Edward Bach
 
     A filosofia do Dr. Edward Bach é simples e profunda ao mesmo tempo, baseada na perfeição inata da natureza espiritual dos seres humanos. "A doença é uma reação às interferências. É um fracasso temporário, uma infelicidade, e ocorre quando deixamos que outras pessoas interfiram em nossos propósitos de vida, implantando dúvidas, medos ou indiferença." Dr. Bach definiu as sete áreas de conflito que interferem em nossa saúde, assim como os estágios de cura da doença: paz, esperança, alegria, fé, certeza, sabedoria, amor.
    
 
Leituras Recomendadas
 Bach,Edward. Cura-te a ti mesmo. Editora Pensamento, São Paulo.
 Barnard, Julian. Padrão de Energia Vital. Editora Aquariana, São Paulo, 1996.
 Paroni,Mara &  Paroni,Celso. Aprenda a ser feliz com os Florais de Bach. Prol editora e gráfica, São Paulo, 2003.
 Ransell,John. Florais de Bach - perguntas e respostas. Editora Campos, Ltda.Rio de Janeiro, 1994.